Cante Alentejano e o Terceiro Aniversário da sua elevação a Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO

No dia 27 de Novembro comemora-se uma data emblemática e inesquecível para a cultura alentejana: a elevação do Cante Alentejano a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

 

Esta classificação, através da submissão duma candidatura que foi considerada “exemplar” pelo Comité de avaliação da UNESCO é fruto do sonho, trabalho e persistência de muitas pessoas e entidades e que muito nos orgulha e honra.

 

Os cantadores e grupos corais, principais detentores e transmissores desta preciosa herança, são o símbolo maior e a expressão tangível desta nossa identidade cultural e é em estreita articulação com eles que o processo de salvaguarda deve ser levado a cabo. O orgulho que os cantadores sentem ao ver a sua cultura ser classificada e divulgada mundialmente é proporcional à vontade que têm de contribuir para esse reconhecimento.

 

Porque importa lembrar que esta classificação não é perpétua e permanente. Implica o cumprimento de compromissos, expressos na candidatura e a concretização de um plano de salvaguarda que compete às entidades colocar em prática e cujos resultados serão avaliados na UNESCO.

 

Importa, agora, cumprir os prazos de implementação e dar andamento às ações de salvaguarda previstas, como a recolha e análise documental e museográfica, a caracterização do cante alentejano, dos grupos de cante e dos cantadores, a sua inserção no contexto socioeconómico e cultural da região, bem como a continuidade do ensino desta prática nas escolas a fim de promover a sua transmissão inter-geracional e, deste modo, assegurar a promoção e valorização do património imaterial dos povos.

 

Além do carácter representativo e identitário do cante como símbolo de uma cultura, cujo reconhecimento conquistámos, impõe-se perspetivar o futuro e as formas de transformar este ativo cultural num ativo com expressão socioeconómica, como contributo para aprópria sustentabilidade do cante e transformar esta manifestação maior da alma alentejana num fator depromoção e desenvolvimento da nossa região.

 

Os Eleitos da CDU na Assembleia Municipal de Beja, congratulando-se com a importante distinção que foi conferida ao povo alentejano e saudando o seu terceiro aniversário, instam as entidades a continuar a honrar os compromissos assumidos e manifestam o seu empenho em continuar a contribuir ativamente para que as ações iniciadas durante a elaboração da candidatura e concretizadas após a sua aprovação, como é o caso específico da instalação do Centro UNESCO em Beja e o seu plano de ação, continuem a seguir o desígnio inicial que lhes deu corpo: preservar, divulgar e transmitir às próximas gerações a mais valiosa herança de um povo nestes tempos de globalização – a sua identidade.

 

 

Beja, 22 de Novembro de 2017

 

Os Eleitos da CDU na Assembleia Municipal de Beja

Bookmark and Share